Erros Teológicos Devido a Erros na Tradução Parte 2

Abolir ou cumprir a Lei?
 
Um dos versículos com interpretação equivocada que já testemunhei é o de Mateus 5:17. “Não pensem que vim abolir a Lei ou os Profetas; não vim abolir, mas cumprir.”  – Nova versão internacional

Há aqueles que defendem que Jesus ao cumprir toda a lei mosaica (o Pentateuco ou Torá) Ele nos livrou do peso da lei e por isso não precisamos nos preocuparmos em obedece-la. Será que tal interpretação é valida? E o que dizer dos 10 mandamentos, que estão incluídos na lei?

Gostaria de propor uma análise na raíze do texto: Antes de tudo temos que considerar que evidências mostram que os evangelhos foram primeiramente escritos em Hebraico e depois traduzidos para o Grego, apesar de não termos os originais em Hebraicos hoje. Se tiver interesse nesse assunto indico a leitura do livro em Inglês (http://www.jerusalemperspective.com/products-page/ebooks/jesus-rabbi-and-lord/) Jesus Rabbi and Lord.

As três palavras fundamentais para entendermos essa declaração de Jesus são: Lei, abolir e cumprir.

LEI – diferente da conotação em português que é de algo obrigatório, pesado e punitivo, a palavra no hebraico (yarah) significa: instrução, retidão, vida, direção e ensino. A imagem é de uma flecha que é atirada em linha reta e acerta o alvo, sendo o alvo a vontade do Senhor. Então a “lei” nos ensina a andar corretamente a fim de obedecermos ao Senhor que amamos. O Salmista exclama no salmo 119:97 ”Oh! Como eu amo a tua lei! Nela medito o dia inteiro.” Como ele pode amar a lei? Eu detesto a lei, ela me obriga a fazer coisas que não desejo. Mas se entendermos o contexto em que o salmista se expressa é fácil de compreender.

ABOLIR – no grego = Karalyõ – “interpretar incorretamente”. No hebraico = batel– abolir, cancelar e destruir. Portanto a pessoa cancela, destrói e abole quando se equivoca na interpretação do texto.

CUMPRIR – no grego = Pleroõ – se refere a interpretar a passagem corretamente. No hebraico = Kiyem – re-afirmar, apoiar, guardar, observar, celebrar. Tanto BATEL quanto KIYEM estão geralmente associadas ao contexto de interpretação das escrituras.

Como alguém pode observar a lei (as instruções) do Senhor se não compreender o que a lei requer dele(a)? Se houver algum equivoco na interpretação das escrituras, provavelmente não conseguira cumprir o mandamento do Senhor como e Seu intuito, ou em outras palavras – acertar o alvo, então a pessoa pode abolir “interpretar incorretamente” – cancelando o mandamento. Em contrapartida quando se compreende corretamente a intenção do Senhor em determinado mandamento então a pessoa consegue cumprir o mandamento ou Lei (Torá). Acerta o alvo!

Então o que Jesus está realmente dizendo é: “Não pensem que vim dar uma interpretação incorreta dos preceitos/ensinamentos ou dos Profetas; não vim para dar interpretação incorreta, mas sim para interpretar corretamente, re-afirmar, apoiar, guardar, observar e celebrar a Lei (Torá).”

Meu desejo é que através do estudo minucioso das escrituras no seu contexto cultural, lingüístico e espiritual possamos viver vidas frutíferas e maduras em reverencia ao Senhor.

Autor: Adivalter Sfalsin

Erros Teológicos Devido a Erros na Tradução Parte 1

 
Dar sem perspicácia
            Somos ocasionalmente procurados por alguém pedindo ajuda financeira ou material. O pedido pode vir de algum vizinho, um membro próximo da família, ou até de uma pessoa totalmente estranha. Normalmente cedemos a esse pedido, outras vezes não. Mas, sempre que recusarmos a um pedido – não importando as nossas razões – invariavelmente nos sentimos desconfortáveis. O pedido pode ser irracional, ou mesmo impossível, mesmo assim sempre sentimos uma certa auto-condenação por não ceder ao mesmo. Afinal a bíblia não ensina, “dá àquele que te pede“? Mateus 5:42.
Esta passagem parece mostrar que somos obrigados a ceder a todos os pedidos materiais feitos. Será que isso realmente é a vontade de Deus? O texto grego de Mateus 5:42 na tradução portuguesa forçam-nos a chegar a esta conclusão, consequentemente, sempre que falhamos a responder positivamente a um pedido por ajuda, ou partilhar nossos bens materiais, ficamos com o sentimento de que agimos de uma maneira inferior a tudo que Deus fez por nós.
Uma tradução errada na primeira parte de Mateus 5:42 é a causa de toda a nossa confusão. Este verso normalmente é traduzido:
“Dá a quem te pedir, e não te desvies daquele que quiser que lhe emprestes”. Esta citação vem da poesia hebraica. Uma das características mais importantes da poesia hebraica é o paralelismo – expressando o mesmo pensamento duas vezes, mas cada vez com palavras diferentes. A poesia não é rítmica apresentando rima ao final dos versos, mas sim sempre repetindo e duplicando a mesma idéia.  A segunda parte de Mateus 5:42 repete a idéia da primeira parte. O verbo “pedir“, portanto, da primeira frase do verbo, seria paralelo ao significado do verbo “emprestar“ na segunda parte do verso. Será que “pedir“ pode significar “emprestar“ em hebraico? Sim, o  “pedir“ em hebraico diferi do grego ou português, tem três significados:
1) “fazer uma pergunta“
2) “fazer um pedido“
3) “Pedir emprestado“
Por isso, “pedir“ em hebraico às vezes pode significar “emprestar“ Porque existem duas palavras para “emprestar“? Porque na verdade há uma diferença sutil entre a palavra hebraica “pedir“ no sentido de “emprestar“ e a própria palavra “emprestar“. Em hebraico há uma distinção entre emprestar um objeto como um livro que deve ser devolvido ao proprietário, e emprestar no sentido de emprestar dinheiro ou farinha, que devem ser devolvidos de forma idêntica ao material emprestado. Na verdade não devolvemos a mesma farinha, mas o mesmo montante. Falando poeticamente em paralelismo, Jesus usa a primeira palavra no sentido de “emprestar“ na primeira parte do verso, e a segunda palavra na segunda parte do verso.
Mateus 5:42 de fato é uma ilustração que se segue em Mateus 5:39a. “Não tentes se vingar” do seu vizinho que tem lhe feito mal. Uma outra maneira de se vingar de um vizinho brigão seria lhe recusar um empréstimo. Jesus declara isso de uma maneira poética tipicamente hebraica. “Pedir“ na primeira parte do versículo é paralelo a “emprestar“ na segunda parte do versículo, e o significado é o mesmo. Em lindo hebraico Jesus diz: Dá a quem te pedir, e não te desvies daquele que quiser que lhe emprestes.” Em português o sentido é duplo e enganoso, mas em hebraico é elegante e perfeitamente claro. Assim que traduzimos este versículo de volta ao hebraico, ele já não mais fornece alguma justificativa para dar sem discernimento espiritual ou sabedoria. Essa passagem não está se referindo a “dar“, mas sim sobre como reagir em relação a um vizinho hostil. Certamente a generosidade é ensinada na bíblia, como por exemplo ajudar os pobres, necessitados e velhos. No entanto não estamos sendo mandados a dar as nossas propriedades a todos que pedem. Nós somos mandados a sermos bons administradores daquilo que Deus nos tem confiado (Compare, por exemplo a parábola dos talentos em Mateus 25:14-30). Não devemos expor irracionalmente nossas propriedades, nem dar sem que Deus dirija nossa dádiva.
 
Extraído do livro: Understanding the difficult words of Jesus, Autor: David Bivin.
 
Tradução: Adivalter Sfalsin